Existem casos no exterior amplamente documentados que são aburdamente chocantes pela total falta de ética e pela crueldade, como os casos  DMK e o da Triple F Farms. Recomendo cautela ao ver o vídeo sobre a Triple-F.

Incluí este material aqui para que as pessoas tenham conhecimento de que nem tudo são flores.

A PETA fez um bom trabalho no caso Triple F mas no final não sei se resolveu alguma coisa realmente. Ambos os casos tem videos no YouTube, extremamente chocantes. Recomendo cautela ao assisti-los. Eu fiquei mal, juro. Até hoje me causa lágrimas nos olhos quando lembro a que ponto a crueldade humana chega.

Todo mundo sabe que a PETA não é santa e de vez em quando faz coisas bem idiotas como quando invadiram uma fazenda de criação de martas e simplesmente as soltaram ! Isso foi uma das coisas mais idiotas que alguém poderia pensar em fazer, porque provavelmente a maioria desses animais morreram de fome ou desidratação em pouco tempo, pois eram animais de cativeiro ! Geralmente a operação deles visa muito mais trazer visibilidade para eles mesmos e com isso arrecadar mais dinheiro do que fazer a coisa certa.

Na verdade a PETA é uma entidade que adota práticas muitas vezes totalmente anti-éticas como a eutanásia sistemática de animais.  Leia esta matéria no Huffington Post .

O pessoal da PETA gosta MUITO de aparecer, mas no caso específico da Triple F Farms, a empresa foi notificada pelas autoridades, estas sim, no final deram uma simples advertência em vez de uma multa pesadíssima, provavelmente por causa de algum interesse político ou econômico. Garanto que o IBAMA simplesmente fecharia uma empresa dessas aqui no Brasil. Ou seja: neste caso a ação da PETA teve um final adequado.

Mais informações sobre as atrocidades cometidas contra furões pela Triple F Farms podem ser acessadas no site da American Ferret Association. O resultado da ação saiu aqui neste link.

O caso DMK foi algo bizarro, um resgate coordenado de mais de 600 (seiscentos) furões de um criador de Ohio, Estados Unidos, em 2008 mas pelo menos o caso DMK terminou bem. Minha colega Dee Gage do West Michigan Ferret Connection, que participou do resgate, me relatou o seguinte:

“DMK significa Doug McKay, que foi um criador em Marengo, Ohio. Ele criava minks e ferrets. No passado ele criava lindos ferrets e muitas pessoas compravam dele e ele tinha uma boa reputação. Os tempos mudaram, ele ficou mais velho e seus filhos e netos não conseguiram manter o negócio que se deteriorou. A comunidade não gostou de como as coisas estavam indo e houve um plano para fecha-lo mas ele começou a desconfiar. Em setembro de 2007 ele perguntou a pessoa da confiança dele se ela poderia pagar uma conta de $5000 para os minks, pois o fornecedor havia cortado o fornecimento até que ele pagasse o que devia, e ele daria os furões para ela como pagamento. Esta pessoa teve duas semanas para pegar os quase 600 furões da sua propriedade. Eu mesma fui lá com outras duas pessoas e trouxe 21. Tenho que procurar as fotos desse dia no computador ! As gaiolas individuais mediam 18×18” e estavam em um rack de 12 pés. Quando você abria uma das gaiolas, não havia como saber o que encontrar dentro, se estavam vivos, mortos ou quantos haviam dentro. Não havia como saber as idades e algumas fêmeas estavam prenhes. As condições eram terríveis, inacreditáveis. Estes furões não eram castrados nem socializados.

Você não viveu até abrir a porta de uma minivan cheia de furões “inteiros”(1). O cheiro é de te arrancar das suas meias, hahaha…    (1) Furões não castrados

Quando chegamos em casa haviam gaiolas por toda parte, a garagem cheia delas, pelo quintal ! Meus amigos vieram e pegaram quantos quiseram.

Eu chorei ao ve-los brincando em um quintal pela primeira vez quando todo espaço que eles conheceram na vida foram aquelas minúsculas gaiolas de 18×18″. Alguns estavam tão neuróticos que não conseguiam andar mais do que essas 18×18 polegadas correspondente à gaiola, mesmo que houvesse mais espaço. Eles paravam e voltavam…

Foi comovente ver esses animais crescerem e tornarem-se em adoráveis e sociáveis criaturas ! Demoramos um tempão para vacinar e esterelisar todos. Eu tinha um grupo chamado The DMK 7 que eu levava em minhas palestras (Humane Society, exposições, acampamentos de verão e outros). Infelizmente, todos os DMKs já se foram em 2017. Nós tinhamos um perfil no facebook sobre nós.

Dee Gage”

Outro relato sobre o caso, por parte de Brenda Johnson pode ser encontrado aqui.

Pois é ! Graças a pessoas como elas, esse mundo fica um pouco melhor. Meu mais sincero e profundo respeito !